Robalo Peva

robalo-peva

Nome popular: Robalo Peva Nome científico: Centropomus paralelus

Habitat: Vive nas águas salgadas e salobras da costa leste brasileira, desde o rio Mampituba (divisa do estado de Santa Catarina e Rio Grande do Sul) até o estado do Maranhão. Freqüenta ilhas, rios e canais, onde procura suas presas próximo à estruturas de paus, pedras, etc .

Técnicas de pesca: Para se pescar Robalos embarcado, o ideal é se utilizar equipamento de ação média, composto por uma vara com resistência de 8 a 20 Lbs, linha com resistência de aproximadamente 14 Lbs e carretilha ou molinete que tenha capacidade para 100 metros desta linha. Deve-se utilizar um pedaço(+- 2,0m) de linha mais resistente próximo à isca, com o diâmetro por volta de 0,50mm ,pois caso a estrutura em que os robalos se encontram seja muito cortante, não haverá problema de esta linha mais grossa estourar. Para se pescar Robalos da praia, deve-se utilizar varas com comprimento variando entre 2,10m e 4,20m, molinete ou carretilha com capacidade de armazenamento de 150m de linha de 0,25mm a 0,30mm de diâmetro, com um chicote de 0,40mm para dois anzóis tipo suzuki tamanho 16 a 18, chumbadas tipo pirâmide cujo peso deve variar com a distância do arremesso e correnteza da maré.

Para a pesca de praia, os melhores locais são os alagamares e canais de praia, sendo as melhores iscas os camarões, sardinhas, manjubas e corruptos, preferencialmente vivos.

Para se pescar embarcado, pode-se utilizar duas formas:

a) Com iscas naturais: Pode-se utilizar bóia ou não, sendo necessário se testar as duas possibilidades até que se obtenha sucesso, pois as variáveis climáticas fazem com que o comportamento do Robalo seja imprevisível.

    As iscas naturais mais utilizadas para a pesca do Robalo são o Camarão, Sardinha, manjuba e amborê, sendo que preferencialmente, estas iscas devem estar vivas, pois o movimento é o principal atrativo ao Robalo. Procede-se arremessando-se junto às galhadas e pedras existentes em rios, canais e baías que deságuam no mar, pois os Robalos sempre procuram estruturas como paus e pedras para procurar alimento. Quanto mais preciso o arremesso, maior a chance de captura.

b) Com iscas artificiais: Considerada uma das mais emocionantes modalidades de pesca, a pesca com iscas artificiais tem particularidades que só com a prática podem ser descobertas, porém algumas podem ser logo observadas, são elas:

– Movimentação da isca: A isca artificial deve estar sempre em movimento, assemelhando-se à um pequeno peixe nadando.

– Movimentação do pescador: Na pesca com iscas artificiais, o pescador deve procurar o peixe até que possa capturar vários em um mesmo local, por isso é imprescindível que se use um motor elétrico.

– Precisão de arremesso: Mais importante do que em qualquer outra modalidade de pesca, a precisão de arremesso é crucial para o sucesso da pescaria de Robalos.

Marés: As melhores marés para se pescar Robalos ocorrem nas luas crescente e minguante, sendo esta ,talvez, a variante que mais influi no comportamento dos peixes de água salgada. Na pesca embarcada, cada pesqueiro é mais produtivo em uma determinada maré , por isso o amigo pescador deve estudar cada local de pesca para que com o tempo possa avaliar as melhores horas para se pescar. Na pesca de praia, a melhor maré é a de enchente.

Dica: Marque as marés de cada pesqueiro, pois provavelmente os Robalos lá estarão quando a maré se repetir.

Melhores épocas: O Robalo pode ser pescado durante o ano todo, sendo que sua maior atividade ocorre em épocas de estiagem.

Tamanho mínimo para captura: 35cm.

Compartilhe!

Speak Your Mind

*


*